domingo, 1 de janeiro de 2012

O túnel



Já passava das 22:00 quando resolvemos ir à Lagoa Rodrigues de Freitas ver aquela charmosa árvore de natal. Como de costume, havia bastante gente apreciando-a. Mas, aos meus olhos, o que reinava ali não era a árvore em si: era o túnel que dava acesso a tal.

Aparentemente uma coisa normal, passa desapercebido por (quase) todos. Mas, ele não é tão invisível assim. Ele nos assopra coisas ao pé do ouvido. Como não podemos ouvir? Não bastasse isso, ele grita o quanto a nossa sociedade é injusta. Que atrevimento.

O que vem antes e depois dele? Dois mundos completamente diferentes. No primeiro, antes do túnel, o descaso e o desrespeito são soberanos. Em cada esquina a fome, a pobreza e a necessidade estão à postos. Prontas para tomar aqueles menos instruídos de assalto. Os poucos que têm uma oportunidade de estudar para ser alguém na vida, vão (sobre)vivendo nesta selva de pedra. 

Depois do túnel, chegamos ao cenário que faz jus ao status de 'Cidade Maravilhosa'. As moradias, um sonho. A vista, estonteante. As esquinas, vigiadas 24hrs por dia. O verdadeiro mundo das fantasias. Lá, não há mau humor que dure diante da realidade que te sorri. E quem te toma de assalto, neste caso,  é a belíssima paisagem. Reagir? De jeito nenhum. A sociedade vai muito bem assim, obrigada.

Bem indiferente.



[Texto por: Luh Farias]

Nenhum comentário: