sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Liberdade


Fulaninha andava em um ritmo tão intenso que no dia em que resolveu não mais dançar conforme a música quase virou capa da Caras no dia seguinte. O motivo? Após décadas de devoção ao não, enfim aprendeu a dizer sim. Para o que cara pálida? Para a vida. Sim, sua própria vida.

Vou colorir meus cabelos porque quero. Direi verdades arrebatadoras porque tenho o direito. Comprarei essa peça de roupa porque me deu na telha. Viajarei para os quatro cantos porque me deu vontade. E sobrou um extra, devo confessar. Desfilarei linda e bela porque estou na flor da idade. Darei um basta porque estou cansada.

De repente fora interrompida em sua análise: Tudo isso é ânsia de liberdade?

- Sim, sim, sim!

Nenhum comentário: